domingo, 29 de setembro de 2013

NOOOSSAAA!!!!


MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):

A publicação abaixo foi copilada, pelo impacto da notícia.

JOAQUIM BARBOSA GASTA 90.000,00 EM SEU “WC” E MANDA PRENDER JORNALISTA???



sábado, 28 de setembro de 2013

Barbosa e a prisão da jornalista

Por Paulo Nogueira, no blog Diário do Centro do Mundo:
E a pergunta que está todo mundo se fazendo é: qual foi o papel de Joaquim Barbosa no episódio do qual resultou a prisão, por cinco horas, da jornalista brasileira Cláudia Trevisan, do Estadão?
Pode ser nenhum, é certo. Mas as especulações se multiplicam..Cláudia tentava entrevistar JB depois de um seminário do qual ele participou na Universidade de Yale, nos Estados Unidos. Ele a avisara de que não iria falar com a mídia, e então Cláudia planejou abordá-lo na saída.
A polícia apareceu e a deteve. Algemada, passou por um constrangimento que incluiu uma cela na delegacia na qual, para fazer xixi, tinha uma privada da qual podia ser observada por policiais.
Cláudia foi acusada de “invasão de propriedade”, e ainda terá uma dor de cabeça jurídica para resolver nas próximas semanas. Mas ela simplesmente entrou em Yale, como tanta gente. Não “invadiu”.
Segundo seu relato, Joaquim Barbosa sabia que ela tentaria entrevistá-lo. Teria ele pedido providências à direção da universidade para se livrar da indesejada repórter?
É uma hipótese que faz sentido.
Joaquim Barbosa já tinha uma pendência com o Estadão. Destratou um jornalista do Estadão que lhe perguntou sobre os 90 000 reais em dinheiro público que ele gastou na reforma dos banheiros de seu apartamento funcional em Brasília.
O caso de Yale pega Joaquim Barbosa num momento particularmente ruim. Ele saiu desmoralizado das sessões das quais resultou a aprovação dos embargos para réus do Mensalão.
Agiu como acusador, não como juiz, fez chicanas, facilitou a pressão da mídia sobre magistrados, sobretudo Celso de Mello – e com tudo isso acabou miseravelmente derrotado.
Já entrou para o anedotário jornalístico brasileiro a capa da Veja que o classificou como “o menino pobre que mudou o país”. Aliás, até hoje pela manhã, os leitores da Veja ignoravam a prisão da jornalista do Estadão, noticiada até pela rival Folha e pelo Globo, tão amigo de JB.
Modestamente, o DCM nota que parece ter surtido efeito uma informação que demos sozinhos, relativa a uma outra viagem de JB, para a Costa Rica. Ele patrocinou, então, uma boca livre para jornalistas com o dinheiro público, e a bordo de um avião da FAB.
Desta vez, JB não levou, pelo visto, jornalista para escreverem coisas laudatórias sobre sua viagem.

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

QUE BELA PUNIÇÃO.













CGU empurra Rosemary para longe do serviço público.
MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
AH! que saudades do presidente Figueredo.

Ex-chefe do gabinete regional da Presidência da República em São Paulo, denunciada por tráfico de influência na Operação Porto Seguro, Rosemary Noronha, foi punida “com a conversão da exoneração em destituição de cargo público, pena que equivale à demissão para servidores sem vínculo com o serviço público, ocupantes apenas de cargo em comissão”; de acordo com a decisão, a ex-chefe do gabinete “ficará impedida de retornar ao serviço público federal”, não apenas por cinco anos, punição comum em casos de proibição, mas por tempo indeterminado, pois incorreu em crime de improbidade administrativa
24 de Setembro de 2013 às 19:49
Foi divulgada ontem  no Diário Oficial da União a destituição de cargo público de Rosemary Nóvoa de Noronha, ex-chefe do gabinete regional da Presidência da República em São Paulo, denunciada por tráfico de influência na Operação Porto Seguro. Segundo a Controladoria-Geral da União (CGU), Rosemary Noronha foi punida “com a conversão da exoneração em destituição de cargo público, pena que equivale à demissão para servidores sem vínculo com o serviço público, ocupantes apenas de cargo em comissão”.
De acordo com a decisão, a ex-chefe do gabinete “ficará impedida de retornar ao serviço público federal”, não apenas por cinco anos, punição comum em casos de proibição, mas por tempo indeterminado, pois incorreu em crime de improbidade administrativa. Em janeiro deste ano, a investigação do caso foi encaminhada à CGU após Sindicância Investigativa conduzida pela Casa Civil da Presidência da República.
Segundo a assessoria de imprensa da CGU, o processo disciplinar aberto pelo órgão explicita as irregularidades cometidas pela ex-servidora, como recebimento de vantagens indevidas, a falsificação de documentos e o tráfico de influência.
Para a investigação, a CGU se fundamenta na lei que trata dos servidores públicos da União, e detecta infrações como: valer-se do cargo para lograr proveito pessoal ou de outrem, receber propina ou vantagem de qualquer espécie em razão de suas atribuições, utilizar recursos materiais da repartição em atividades particulares.
Deflagrada pela Polícia Federal em novembro do ano passado, a Operação Porto Seguro desmontou um esquema criminoso infiltrado em órgãos federais que elaborava pareceres fraudulentos que favoreciam interesses privados. Além de empresários e advogados, estavam envolvidos no esquema servidores da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Agência Nacional de Águas (ANA), Advocacia-Geral da União (AGU) e Secretaria do Patrimônio da União (SPU).
Após as denúncias, Rosemary e outros foram exonerados de seus cargos públicos, dentre eles o ex-advogado-geral adjunto, José Weber de Holanda, o ex-diretor da ANA, Paulo Vieira, e o irmão dele e diretor afastado da Anac, Rubens Vieira.
Em dezembro de 2012, o Ministério Público Federal (MPF) denunciou 24 pessoas investigadas na operação, que teriam praticado formação de quadrilha, corrupção ativa, corrupção passiva, tráfico de influência, falsidade ideológica e falsificação de documento particular.
Segundo o MPF, durante as interceptações, foi possível verificar a constante presença de Rosemary nas atividades ilícitas do grupo. A ex-chefe de gabinete foi denunciada por falsidade ideológica, tráfico de influência, corrupção passiva e formação de quadrilha.
Na sindicância conduzida pela CGU, foram analisados e-mails institucionais do gabinete de Rosemary e documentos do inquérito da operação feita pela PF. A assessoria de imprensa do órgão informa também que, para a investigação, “foram ouvidas 16 testemunhas, sendo 11 delas arroladas pela defesa da acusada”.
Fonte: Fábio Massalli

MINISTRO & MINISTRO.













MINISTROS JOAQUIM BARBOSA e  JOSÉ ANTONIO DIAS TOFFOLI 
  
Joaquim Barbosa nasceu em Paracatu, noroeste de Minas Gerais. É o primogênito de oito filhos. Pai pedreiro e mãe dona de casa, passou a ser arrimo de família quando estes se separaram. Aos 16 anos foi sozinho para Brasília, arranjou emprego na gráfica do Correio Braziliense e terminou o segundo grau, sempre estudando em colégio público. Obteve seu bacharelado em Direito na Universidade de Brasília, onde, em seguida, obteve seu mestrado em Direito do Estado.


Foi Oficial de Chancelaria do Ministério das Relações Exteriores (1976-1979), tendo servido na Embaixada do Brasil em Helsinki, Finlândia e, após, foi advogado do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) (1979-84).

Prestou concurso público para procurador da República, e foi aprovado. Licenciou-se do cargo e foi estudar na França, por quatro anos, tendo obtido seu mestrado e doutorado ambos em Direito Público, pela Universidade de Paris-II (Panthéon-Assas) em 1990 e 1993. Retornou ao cargo de procurador no Rio de Janeiro e professor concursado da Universidade do Estado do Rio de Janeiro -  UERJ. Foi "visiting scholar" no Human Rights Institute da Faculdade de Direito da Universidade Columbia em Nova York (1999 a 2000) e na Universidade da Califórnia Los Angeles School of Law (2002 a 2003).

Fez estudos complementares de idiomas estrangeiros no Brasil, na Inglaterra, nos Estados Unidos, na Áustria e na Alemanha. É fluente em francês, inglês, alemão e espanhol. Toca piano e violino desde os 16 anos de idade. 
E O SEU COLEGA NO STF.
Nome: José Antonio Dias Toffoli
Profissão (atual): Ministro do Supremo Tribunal Federal /STF- Suprema Corte.
Idade: 41 anos
Breve histórico de seu Currículo, para entender a "coisa:"
- Formado pela USP
- Pos Graduação: nunca fez
- Mestrado: nunca fez
- Doutorado: também não!!!
- Concursos: 1994 e 1995 foi REPROVADO em concursos para juiz estadual em São Paulo.
  ( é estadual e não Federal, não vá se confundir).
- Depois disso, abriu um escritório e começou a atuar em movimentos populares. Nessa militância, aproximou-se do deputado federal Arlindo Chinaglia e deu o grande salto na carreira ao unir-se ao PT...


* Em Brasília:


- aproximou-se de Lula e Jose Dirceu;
- que o escolheram para ser advogado das campanhas 1998, 2002 e 2006;
- Com a vitória de Lula, foi nomeado subchefe assuntos Jurídicos da Casa Civil, então comandada por José Dirceu;
- Com a queda do chefe, pediu demissão e voltou a banca privada;
- Longe do governo, trabalhou na campanha à reeleição de Lula, serviço que lhe rendeu 1 milhão de reais em honorários.
- No segundo mandato, voltou ao governo como chefe da Advocacia-Geral da União;
- Toffoli é duas vezes réu. Ele foi condenado pela Justiça, em dois processos que correm em primeira instância no estado do Amapá. Em termos solenemente pesados, a sentença mais recente manda Toffoli devolver aos cofres públicos a quantia de 700.000 reais – dinheiro recebido "indevidamente e imoralmente" por contratos "absolutamente ilegais", c elebrados entre seu escritório e o governo do Amapá.
- Um dos empecilhos mais incontornáveis para ele é sua visceral ligação com o PT, especialmente com o ex-ministro José Dirceu, o chefe da quadrilha do mensalão. De todos os ministros indicados por Lula para o Supremo, Toffoli é o que tem mais proximidade política e ideológica com o presidente e o partido. Sua carreira confunde-se com a trajetória de militante petista – essa simbiose é, ao fundo e ao cabo, a única justificativa para encaminhá-lo ao Supremo.
*Posse na "cadeira dos sonhos":


No dia 23/10/2009, ocorreu a posse de Dias Toffoli como ministro do STF, indicado pelo Presidente Lula.


Deu para perceber a diferença?

terça-feira, 24 de setembro de 2013

E VIVA A MARINHA DO BRASIL!!!!!













MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
Eis a situação da Marinha do Brasil. As forças armadas do país, estão sucateadas. Que o diga o EB.






No papel, a Esquadra tem 14 navios-escolta. A realidade é:
  • Corvetas Classe “Inhaúma”: Nenhuma operacional;
  • Corveta “Barroso”: Navio com maior índice operacional (Operando praticamente sem restrições);
  • Fragatas Classe “Greenhalgh”: Só uma está operacional e mesmo assim, com restrições;
  • Fragatas Classe “Niterói”: Uma sendo canibalizada, uma inoperante e 4 operando com diferentes níveis de restrições.
Ou seja, dos 14 escoltas, somente 6 estão operacionais e destes, apenas a “Barroso” está próxima do 100%.
Querem submarino de propulsão nuclear, Navios-aeródromo, Segunda Esquadra, 30 escoltas….
Que mundo essa gente vive? Com certeza não estão no dia a dia da MB.
Leitor “Acordado”
NOTA DO PODER NAVAL: a informação é de um leitor que não quer ser identificado.
Observar a movimentação e missões dos navios nos noticiários da própria Marinha, assim como (para quem é do Rio de Janeiro) a movimentação entre o Arsenal e a Base Naval, além dos navios que estão atracados a cada uma dessas organizações e há quanto tempo, ajuda também a montar o panorama (fora as fontes às quais se tem acesso).
Porém, a informação trazida pelo leitor é resumida, e por isso mesmo, incompleta. Assim, precisa ser vista pelos leitores como retrato de parte do problema e não como o todo, sem excesso de alardes nem de indignação quanto à credibilidade.
Por exemplo, em relação às corvetas classe “Inhaúma”: uma delas está na Base Naval do Rio de Janeiro, e para isso precisa se apresentar com algum índice de operacionalidade ou então necessitar apenas de reparos mais simples, do contrário estaria no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro, sofrendo manutenções mais pesadas.
Já as outras três unidades da classe, de fato não estão operacionais no sentido de poderem ir para o mar. Elas estão passando por diferentes períodos de manutenção no Arsenal, com graus também diferentes de andamento. Basta reparar há quanto tempo estão por lá. Espera-se que, logo, ao menos uma das corvetas que tem os trabalhos mais adiantados volte a operar, conforme termine sua fase de reparos, mas outras fases estão programadas, pois há uma revitalização em andamento na classe.
O problema é que tudo isso acontece num prazo muito maior do que o pretendido inicialmente, pois houve cortes muito grandes no orçamento de custeio da Marinha desde a época em que essas manutenções / revitalizações tiveram que ser iniciadas na classe, há alguns anos, fazendo com que três delas ficassem aparentemente “encostadas” há anos no AMRJ para quem vê de longe. Mas os trabalhos prosseguem nos navios, ainda que num ritmo abaixo do desejável, e procura-se manter as tripulações adestradas em cada um dos departamentos das corvetas, mesmo atracadas, para que quando chegue a hora de voltar às missões no mar isso se dê com alto grau de operacionalidade.
Enfim, esse é um exemplo de complementação da informação resumidíssima (operacional / não operacional) mostrada no texto acima. Porém, o resultado não é muito diferente quanto ao número de navios que de fato estão operacionais nesse momento.
Um dos problemas é que a frota de navios escolta da Marinha é pequena (comparada ao que já foi nas décadas passadas), com idade média avançada. Quando se pensa em 50% de operacionalidade, a questão da idade frente à disponibilidade orçamentária se potencializa.
Lembrando também que 50% de operacionalidade numa esquadra não é um índice ruim em si para tempos de paz, pois parte da frota deve sempre estar em manutenção. Seis navios, em 14, é um pouco abaixo desses 50%. A Alemanha, por exemplo, trabalha com um índice parecido, só que os navios em operação precisam estar 100% ou próximo disso.
A questão é se os seis (ou pouco mais) operacionais da força de 14 navios escolta da Marinha estão podendo se manter em boas condições operacionais (alguns de fato estão com bons índices, pois é necessário para as missões internacionais de que estão participando) e quanto tempo levará para que os oito (ou pouco menos) sofrendo diferentes períodos de manutenção voltem às operações plenas, permitindo que os que operam hoje passem por suas manutenções.
Por isso é fundamental que a Marinha tenha seu orçamento de custeio tratado dignamente pelo Governo, porque com cortes anuais (embora o tamanho dos cortes tenha diminuído um pouco de dois anos para cá) e liberação do dinheiro só no fim do ano, quando o estrago já foi feito, não dá pra manter a previsibilidade necessária para o bom planejamento e andamento dos trabalhos de manutenção. Matérias como esta servem para alertar quanto a essa necessidade, para conscientizar o público leitor, levando à reflexão. São para o bem da Marinha.

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

MASCARADOS OU...















MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):

A preamar dos mascarados





A democracia é o governo do poder visível. Sob sua tutela “nada pode permanecer confinado no espaço do mistério”, ensina Norberto Bobbio. A lição é oportuna na quadra em que vive o país, caracterizada por mobilização de grupos e setores, entre os quais o contingente que se autointitula “black bloc”, formado por pessoas que atuam de forma brutal, construindo barricadas, depredando lojas e monumentos, enfrentando a polícia, em aparente demonstração de que a revolta tem como foco o Estado e os símbolos clássicos do capital, a partir da concentração de riquezas.
A crescente onda de violência puxada por esse grupamento, além do evidente refluxo que produz no apoio aos eventos de rua, deixa transparecer uma crise de autoridade. O Estado não tem demonstrado competência para fazer cumprir a lei, seja por leniência, fechando os olhos para o vandalismo, seja por receio de que a força policial puxe para baixo a imagem já negativa de seus governantes, ou ainda por falta de qualificação do aparelho policial para lidar com uma nova ordem social. O fato é que o descontrole fica patente, ensejando, a cada nova manifestação, atos cada vez mais virulentos.
A par das motivações que estão por trás de suas ações diretas e truculentas, é inegável que os “black blocs” afrontam a lei e rompem a textura do Estado de direito. Pode-se até argumentar que não seriam meros vândalos e baderneiros ao inseri-los no ciclo de protestos do final dos anos 1990, quando o grupo ganhou visibilidade nas manifestações contra a Organização Mundial do Comércio, a batalha de Seattle (1999), e contra o G-8, em Gênova (2001), quando morreu o primeiro ativista do movimento antiglobalização, Carlo Giuliani.

BARBÁRIE


Na moldura brasileira, porém, a indignação do grupo não tem como lastro um episódio de envergadura nem o pano de fundo da crise econômica, como a que abalou nações em 2008. O movimento Occupy Wall Street, lembre-se, tinha como foco protestos contra a desigualdade econômica, a influência de empresas e bancos no governo americano, sob a tessitura da crise internacional. A situação deflagrou movimentos congêneres nos países assolados pela mesma borrasca financeira.
Por aqui, o conceito entra mais na esfera da barbárie, convergindo para o que Elias Canetti, no clássico “Massa e Poder”, classifica como malta: “Um grupo de homens excitados que nada desejam com maior veemência do que ser mais; o que lhes falta de densidade suprem por intensidade”.
Não se trata de proibir manifestações, mas de obedecer aos dispositivos constitucionais, principalmente o inciso IV do Artigo 5º da Carta Magna, que estabelece: “É livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato”.
A este se segue a regra do inciso XVI: “Todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos ao público, independentemente de autorização, desde que não frustrem outra reunião convocada para o mesmo local, sendo exigido prévio aviso à autoridade competente”.
Fonte:Gaudêncio Torquato

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

GOLPE NO SUPREMO






MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
Isso é uma vergonha! 

 Amigos, a situação política do Brasil está grave, diante da iminência de ruptura do estado de direito, perpetrado pelos "petralhas", inconformados pela condenação do "subchefe da quadrilha" José Dirceu (o chefe é o Lula).
    A manifestação do PT em São Paulo, contra a condenação dos seus membros em razão do julgamento do mensalão, é perfeitamente admissível numa democracia.
   Todavia, as manifestações dos "porta-vozes", Tóffoli e Lewandovsky, pedindo a "transformação" da pena de prisão em multa, é um ESCÁRNIO, INADMISSÍVEL DE SER PROPOSTA POR UM JUIZ, AINDA MAIS SE ESSE JUIZ FAZ PARTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL.
    Como estou dirigindo este e-mail para diversos amigos, a grande maioria com formação diversa da área jurídica, peço licença para um pequeno esclarecimento, do porquê do perigo das manifestações dessas duas figuras nefastas que, infelizmente, têm assento no Supremo.
 
    No Direito penal, o princípio da legalidade se desdobra em outros dois:
    O princípio da anterioridade da lei penal e o princípio da reserva legal.
 
    Por anterioridade da lei penal, entende-se que não se pode impor uma pena a um fato  praticado antes da edição desta lei, exceto se for em benefício do réu.
 
    Já a reserva legal, estabelece não existir delito fora da definição da norma escrita.
O princípio nullum crimen, nulla poena sine lege é cláusula pétrea da Constituição.
 
    Como nós sabemos, o Código Penal é TÍPICO.
Na aplicação da Lei Penal, o Juiz não pode se valer, por exemplo, da ANALOGIA.
 
    Os elementos constitutivos de um crime devem ser preenchidos na sua TOTALIDADE.
 
    Portanto, o Juiz deve se ater ao que está escrito na Lei Penal.
 
    Assim, o que pode gerar tais manifestações?
 
    É simples: incentivado por esses dois IMBECIS, a bancada dos Petralhas pode apresentar projeto de Lei, por exemplo, mudando a penalidade dos crimes de corrupção ativa e passiva (crimes contra a Administração Pública) de prisão para pena de multa.
 
    O que acontecerá, se for feita esta alteração nas penas?
Dentro dos princípios Constitucionais e do Código Penal,
a LEI POSTERIOR NÃO SE APLICA AOS CASOS JULGADOS ANTERIORMENTE,  SE NÃO EM BENEFÍCIO DOS RÉUS.
 
Por exemplo: uma pessoa é condenada a um ano de prisão por furtar uma bicicleta.
 
Lei posterior, revoga essa penalidade, dizendo não ser crime o furto de bicicleta.

 
O Réu, INSTANTÂNEAMENTE, terá de ser posto em liberdade.
 
Voltando ao mensalão, caso mude a penalidade de prisão para multa nos crimes praticados pelo Zé Dirceu, ele, simplesmente, com os milhões amealhados pela quadrilha, sairá da prisão, caso seja preso, RINDO DE TODO O POVO BRASILEIRO, EXCETO OS SEUS COMPARSAS.
 
    Portanto, a gravidade do assunto é visível:
será a desmoralização do Supremo, não de seus membros, e sim da instituição, que representa um dos PODERES DA REPÚBLICA, talvez o mais importante.
 
    Assim, peço a você, caso concorde com os termos dessa minha manifestação, divulgue este e-mail para o maior número de pessoas, a fim de que a Nação fique atenta, e impeça um golpe malandro na tênue democracia brasileira.
Carlos Santana.

terça-feira, 10 de setembro de 2013

LOBOS PAPAM 400 MILHÕES









Ante sala do ministro com quadrilha estalada.
MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
Desarticulada pela PF, grupo que atuava em 11 estados e no DF. Foram desviados cerca de 400 milhões para o IMDC, com sede em Belo Horizonte. Os quadrilheiros recebiam dinheiroda União e não prestava o serviço. A operação batizada pela PF de Esopo em alusão ao autor de "Lôbo em pele de cordeiro (fábula), teve como alvo o Ministério do Trabalho que foi comandado pelo pedetista Carlos Lupi, cujo sobre nome siginifica 'lôbo' em latim. Dentre os investigados, figura Paulo Roberto Pinto(homem de confiança do ministro) e que chefiou o ministério por 5 meses. Ressalte-se que a Pasta do Trabalho e Emprego tem histórico recente de denúncias de corrupção. Outro envolvido, é o atual assessor direto do atual ministro Manoel Dias. Já foram presos cerca de 22 pessoas. Todo esse esquema era montado e organizado na ante sala do ministério. Certamente, o titular da pasta, vai aderir à cartilhinha de ex-marolhinha: "Não sei de nada!
e o erário público, continua sendo descaradamente delapidado pelos que têm a obrigação de cuidar bem e muito bem do dinheiro do contribuinte.







segunda-feira, 9 de setembro de 2013

INDEPENDENCIA DO QUÊ?



Outrora, o dia 7 de Setembro, via-se nas ruas o civismo de uma nação e o sentimento de patriotismo estampado nos rostos. O verde-amarelo predominava nas vias públicas, sacadas e janelas. Mas, isto é passado. È coisa de saudosistas (como nós). Hoje, o sentimento é outro: de revolta da nação em referencia ao descaso dos governistas. Brasileiros aproveitam o feriado da Independencia, para demonstrar e cada vez com mais indignação a atuação da classe política que continua de braços cruzados em respostas aos apelos populares. A corrupção, o roubo escancarado, o desrespeito e a falta de vergonha são a marca registrada do Estado brasileiro. A Pesidanta, continua apalermada e sem rumo. Ministros, Congresso Nacional, governadores, deputados estaduais e vereadores, continuam dando uma sonora 'banana' aos eleitores. A soberania brasileira jogada na lata do lixo. Vide os médicos cubanos e a espionagem do Tio Sam.
Resumo da ópera: "Tudo como dantes no quartel de Abrantes".
O que se viu ontem de norte a sul do país, foi uma verdadeira guerra de protestos em lugar dos festejos da Independencia.
TRISTE E POBRE BRASIL!!!!!














domingo, 8 de setembro de 2013

A ÚLTIMA ESPERANÇA.

MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
È a nossa última esperança de que os políticos aprendam om que significa a introdução do Hino Nacional e 
TOMEM VERGONHA NA CARA!!!!!








quinta-feira, 5 de setembro de 2013

“STF” – MINISTRO CELSO DE MELLO – JUIZ DE MERDA

MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
PADRINHO REVELA UM MELLO POLÍTICO E MIDIÁTICO.






No romance autobiográfico “Código da Vida”, o ex-ministro da Justiça Saulo Ramos conta como ajudou a nomear Celso de Mello para o STF e como rompeu com o ex-pupilo; o ministro havia dado um voto contra José Sarney, que o nomeara, por pressão da Folha de S. Paulo, mas apenas porque a votação já estava decidida em favor do ex-presidente; depois disso, ambos romperam e Saulo disparou: “Você é um juiz de merda.
Responsável pela comparação entre  o PT e duas organizações criminosas que roubam e matam (o Comando Vermelho e o Primeiro Comando da Capital), o ministro Celso de Mello, “decano” do Supremo Tribunal Federal, é saudado há vários anos pelos meios de comunicação como uma espécie de herói por sua defesa constante da liberdade de expressão.
Essa conexão com os meios de comunicação foi apontada em 2007 pelo ex-ministro da Justiça, Saulo Ramos, que foi um dos articuladores de sua ida para o Supremo Tribunal Federal. Naquele ano, Saulo publicou o romance “Código da Vida”, com pitadas autobiográficas, em que falou sobre o ex-pupilo Celso de Mello.
Segundo Saulo, o ministro deu um voto contra José Sarney, que o nomeou, por pressão da Folha da S. Paulo, que questionava sua independência – assim como muitos jornais fazem hoje em relação a Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski. E essa revelação teria sido feita pelo próprio Mello a Saulo numa conversa telefônica reproduzida no livro.
Além de confessar a pressão da Folha, Mello teria dito ainda a Saulo que votou contra Sarney apenas porque a votação já estava decidida em favor do ex-presidente, que pôde mudar seu domicílio eleitoral para o Amapá, onde se elegeu senador. Ou seja: se fosse necessário, ele votaria de outra maneira.
A ligação terminou com o rompimento definitivo entre ambos. “Você é um juiz de merda”, disparou Saulo.
Confira trecho do livro:
"…a Suprema Corte estava em meio recesso, e o Ministro Celso de Mello, meu ex-secretário na Consultoria Geral da República, me telefonou:
E continua:
Veio o dia do julgamento do mérito. Sarney ganhou, mas o último a votar foi o Ministro Celso de Mello, que votou pela cassação da candidatura Sarney.
Deus do céu! O que deu no Garoto? Votou contra o Presidente que o nomeara, depois de ter demonstrado grande preocupação ( o assunto do telefonema para o “padrinho” ) com a hipótese de Marco Aurélio de Mello ( primo do Collor ) ser o relator.
Continuando a narrativa:
Apressou-se ele próprio a me telefonar, explicando:
- Doutor Saulo, o senhor deve ter estranhado o meu voto…votei contra para desmentir a Folha de São Paulo ( que na véspera noticiou o voto certo em favor de Sarney )…
O Presidente já estava vitorioso e não precisava mais do meu…Mas fique tranquilo. Se meu voto fosse decisivo, eu teria votado a favor do Presidente…
O Senhor entendeu?
- Entendi.
ENTENDI QUE VOCÊ É UM JUIZ DE MERDA!
Bati o telefone e nunca mais falei com ele.
Muitos advogados sabiam que Celso de Mello havia sido meu secretário na Consultoria da República e nomeado Ministro do Supremo por empenho meu. (fls. 169 /176 do livro Código da Vida)".

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

O GOVERNO DO DESCASO

A aceitação por parte do Estado brasileiro no que concerne aos médicos cubanos trabalhando no Brasil sob o regime didatorial de cuba, atesta que a Presidanta é omissa quanto ao perigo de jogar-se na lata de lixo a soberania do país. Outro perigo, e este bem perto de tornar-se realidade, é a criação de uma bancada penitenciária no Congresso. Como cidadão que paga os impostos e profissional da Imprensa(livre), sinto-me envergonhado de ser brasileiro. O Planalto vive a cada dia sua agonia de ver-se perdido e sem rumo. E por falar em soberania, a nossa não existe faz tempo. Como se não bastasse a nação ser espionada pelo Tio Sam, até a Presidanta e seus ministros tambem o são. A incompetência presidencial é pública, notória e irrestrita. A cada dia, somos alvos de mais e mais gozações no exterior. Nossa reputação, é a pior possível. A pergunta que não quer calar:
QUE PAÍS É ESSE?
Mas parece a casa da mãe Joana: Todo mundo manda! 

domingo, 1 de setembro de 2013

RELAX DOMINICAL


MOMENTOBRASIL.COM(Comentário):
Revirando o baú.